23 agosto 2016

3a edição do livro Saúde Para Todos, Já!


O Reitor da Universidade Federal da Bahia, João Carlos Salles Pires da Silva, convida para o lançamento do livro Saúde para todos, já!, de Lana e Taís Bleicher, que ocorrerá durante o IX Festival de Livros e Autores da UFBA, no dia 08 de setembro de 2016, às 17h, no Palácio da Reitoria, Canela, Salvador.

Com 28 anos de existência, o Sistema Único de Saúde (SUS) marca o estabelecimento do direito à saúde pela Constituição Federal e inicia um processo intenso de revisão das estruturas sanitárias, de financiamento e acesso à saúde pública no Brasil. Nesse livro, o foco recai na apresentação do SUS, em quais são as suas atuais competências, princípios e campos de atuação, além de lançar um olhar mais atento nas questões relativa à saúde bucal e mental dentro deste modelo de saúde pública.


Informações adicionais sobre o livro

ISBN: 978-85-232-1513-2
Ano: 2016
Formato: 19 x 22 cm
Número de páginas: 133
Preço especial de lançamento: R$ 12,50

Serviço:
O quê: IX Festival de Livros e Autores da UFBA
Quando: 08 de setembro de 2016
Horário: das 17h às 20h
Onde: Palácio da Reitoria, Canela, Salvador.


.
  

18 agosto 2016

Livro disponível para venda!!

Enfim, a tese cumpre seu objetivo, que é circular entre as pessoas. Já etá no site da Editora Appris meu livro "O dentista e seu trabalho: entre a autonomia e o assalariamento precário".

Como as transformações do mundo do trabalho impactam sobre uma especialidade de tradição liberal como a odontologia? Se é verdade que dentistas vêm passando por um processo de assalariamento, sob que marco se dá esse processo?





24 maio 2016

Um vídeo sobre Odontologia a 4 mãos em Português

Este vídeo foi produzido por uma equipe da turma de Odontologia em Saúde Coletiva III da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal da Bahia.


16 maio 2016

Cai o número de beneficiários de planos odontológicos

No primeiro trimestre de 2016 os planos exclusivamente odontológicos registraram a primeira queda do número de beneficiários, conforme é possível ver na tabela abaixo. É necessário clicar para ampliar!



Impressiona que, ao longo dos últimos 4 trimestres, a oscilação é positiva: foram 230 mil novos vínculos criados. Mas somente no último trimestre 274 mil vínculos foram perdidos.

O estudo por modalidade também pode ser útil. No período de 4 trimestres, as modalidades que mais sofreram foram as de autogestão, cooperativas médicas, filantropia e cooperativa odontológica.  No último semestre a modalidade a registrar maior perda foi a Odontologia de Grupo.

Resta saber como vai se dar a relação das operadoras com os dentistas credenciados nesse novo cenário. E de que forma os dentistas reagirão.

03 maio 2016

O que demanda a Odontologia Suplementar?

Uma interessante matéria foi publicada recentemente no Diário do Comércio e Indústria & Serviços. A matéria adverte que as exigências da Agência Nacional de Saúde Suplementar estariam  dificultando o crescimento de planos odontológicos. Ora, conforme já tinha comentado em post anterior, os dados apontam exatamente o contrário. Em meio à recessão por que passa o país, ao aumento do desemprego, à diminuição do número de beneficiários de planos de assistência médica, se há um setor que não pode se queixar é a Odontologia Suplementar, que no período de setembro de 2014 a setembro de 2015 cresceu 5%.

E é bastante curiosa essa queixa em relação ao excesso de exigências. Vamos lembrar, embora a ANS estabeleça os índices de reajustes anuais para planos de assistência médica individuais, isto não se aplica para planos odontológicos. Ou seja, é um pouco contraditório ou mesmo desnecessário fazer uma cruzada contra a "ideia equivocada que o brasileiro tem de que o controle de preços acaba com os problemas". A liberdade de reajuste das mensalidades de planos odontológicos já está garantida - e aliás, fala-se muito pouco sobre ela.

A demanda que realmente me chamou a atenção foi a " inclusão de instrumentos que facilitem o compartilhamento de serviços e/ou a consolidação por meio de fusões e aquisições." Hum. Ou seja, reivindica-se a facilidade de concentrar ainda mais um setor cujas duas maiores empresas respondem juntas por 40% do mercado.


.

01 maio 2016

Lendas urbanas: a meta da OMS

Um vídeo:


.

Os documentos citados no vídeo são:


  • O artigo Mais dentistas?, de Paulo Capel Narvai, neste link.
  • O documento Leitos por Habitante e Médicos por Habitante, da OPAS/OMS, no Scribd.
  • O documento Plan decenal de salud para las Americas, da OPAS/OMS, neste link.


E este aqui de bônus:

  • O documento Achieving the right balance : the role of policy-making processes in managing human resources for health problems, da OMS neste link.



Mais discussão sobre o tema estará disponível quando sair o livro:



28 abril 2016

Em breve

Está bem próxima  a finalização do livro derivado da minha tese de doutorado.

Um pouco de paciência...

19 abril 2016

Minha casa, minha vida, meu plano de saúde: políticas sociais equacionadas pelo mercado

Tenho um alerta ativo no Google Acadêmico: tudo o que ele encontra com expressões “plano de Saúde” e “concentração” ele manda para o meu e-mail. Obviamente, muita coisa importante e fresquinha chega à minha caixa postal, mas também muita coisa bem longe dos meus temas de pesquisa. E também, vira e mexe, aparece coisa que me interessa, mas que jamais me chegaria por outras vias.

Hoje tive a grata satisfação de receber o artigo “O Programa Minha Casa Minha Vida Entidades: provisão de moradia no avesso da cidade?” de Cibele Saliba Rizek que saiu no número 19 da revista Cidades.

A autora sinaliza para a dualidade das políticas sociais brasileiras, que, ao mesmo tempo em que apontaram para relações intersetoriais, também são marcadas por privatizações cruzadas e pela hegemonia do capital financeiro. É sob esse marco que ela analisa o PMCMV.

Os parágrafos que fizeram com que este artigo fosse parar no filtro do alerta do  Google Acadêmico são os que comparam a dinâmica recente do setor imobiliário à do setor de saúde suplementar:

É preciso apontar, ainda, que um processo semelhante vem tendo lugar nas empresas que operam planos de saúde no Brasil – abertura de capital, atuação na bolsa de valores, fusões e aquisições, planos, sobretudo empresariais, voltados para os segmentos C e D, de menor renda e devidamente coletivizados. 

Assim, tanto saúde quanto habitação – anteriormente bastante apoiadas em reivindicações assentadas em um imaginário de direitos – não sofreram apenas privatizações, mas passaram a ser um nicho de negócios de expressiva lucratividade e de nítida captura por um arranjo financeiro e produtivo em que as dimensões de eficiência e lucratividade empresarial se submetem continuamente à dinâmica financeirizada das bolsas de valores e de ações. (RIZEK, 2014, p. 252-3)

Isso me faz pensar nos desafios da pesquisa sobre a Odontologia Suplementar: entendê-la no contexto maior que a mera realidade de mercado de trabalho do dentista.

É evidente que o artigo de Cibele Rizek é muito mais rico que o trecho selecionado para ilustrar esse post. Acho que ela faz uma análise muito valiosa do caráter da principal política habitacional do último período. Recomendo enfaticamente a leitura, até porque tenho ouvido tanta banalidade a respeito...





Fonte imagem: brasil.gov.br

08 abril 2016

Sistema de Informações de Graduações em Saúde


Excelente dica para ter acesso a informações sobre os cursos de graduação em Saúde: o SIGRAS. A descrição é dada pelo site:
O Sistema de Indicadores das Graduações em Saúde - SIGRAS é uma ferramenta que processa dados da Educação Superior do INEP/MEC, desenvolvido pela Rede Observatório de Recursos Humanos em Saúde/Estação de Trabalho do Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IMS/UERJ).
É impressionante a quantidade de informação que pode ser extraída dessa ferramenta. Observe abaixo a tabela que sumariza os dados sobre cursos de Odontologia:





Fonte.  INEP/MEC, SIGRAS/ObservaRH - IMS/UERJ 2013


Fica a dica para explorar em detalhes todas as possibilidades deste banco de dados: http://www.obsnetims.org.br/sigras/



.